Postagens

Detectores celestes de monóxido de carbono podem alertar para um mundo distante repleto de formas de vida simples.

MAIS NOTÍCIAS

Para alguns mundos distantes, o monóxido de carbono pode realmente ser compatível com uma biosfera microbiana robusta.


Astrônomos assumiram que um acúmulo de monóxido de carbono na atmosfera de um planeta seria um sinal claro de falta de vida. Agora, uma equipe de pesquisadores liderada pela UC Riverside está argumentando o contrário: os detectores celestes de monóxido de carbono podem realmente nos alertar para um mundo distante repleto de formas de vida simples.
"Com o lançamento do Telescópio Espacial James Webb daqui a dois anos, os astrônomos poderão analisar as atmosferas de alguns exoplanetas rochosos", disse Edward Schwieterman, principal autor do estudo e membro do Programa de Pós-Doutorado da NASA no Departamento de Ciências da Terra da UCR. "Seria uma pena ignorar um mundo habitado porque não consideramos todas as possibilidades."
Em um estudo publicado no The Astrophysical Journal, a equipe de Schwieterman usou modelos computacionais de qu…

NASA registra pulsar 'Bala de Canhão' acelerando pelo espaço a 2.5 milhões de milhas por hora.

Supercomputadores indicam a possibilidade de formação de um forte ciclone no mar, na costa do Espírito Santo e sul da Bahia.

Ex-presidente Michel Temer é preso em desdobramento da Lava Jato.

Descobertas duas colossais 'chaminés' canalizando o material do buraco negro da Via Láctea para duas enormes bolhas cósmicas.

AUSTRÁLIA - Ciclones "gêmeos" podem se tornar um sistema grande e destrutivo, com ventos de até 260 km/h.

A posição geográfica, estratégica e privilegiada da Base de Alcântara, são características que poucos países podem reunir.

Missão Antártica: Videoconferência pela primeira vez em 37 anos no Programa Antártico Brasileiro.

Turquia - Terremoto de magnitude 5.6 deixa cerca de 20 edifícios e casas danificados.

Eta Carinae está ficando mais brilhante - Provavelmente pela dissipação de uma nuvem de poeira posicionada na frente dela (vista da Terra).

Novos estudos mostram que cérebros humanos podem detectar o campo magnético da Terra.