TERREMOTO - Goiás foi atingido por dois terremotos em menos de uma hora.

MAIS NOTÍCIAS

O Observatório Sismológico da UnB registrou dois terremotos de magnitudes 3.5 e 3.0 na cidade de em Aruanã, no interior de Goiás. Não houve registro de danos.


Fique ligado! Acompanhe nosso SITE! Monitore as tempestades AQUI Monitore o SolAQUI
MAIS NOTÍCIAS

Grafeno - A mola propulsora do desenvolvimento do Brasil

As três mai­o­res re­ser­vas mun­di­ais de on­de se con­se­gue ob­ter o Gra­fe­no atu­al­men­te se lo­ca­li­zam no Bra­sil, na Chi­na e no Ca­na­dá. 
Mas a área bra­si­lei­ra, prin­ci­pal­men­te, que é uma ca­deia de Mon­ta­nhas en­tre os es­ta­dos de São Pau­lo e Pa­ra­ná foi ocu­pa­da por 60 ín­di­os, in­clu­si­ve tra­zi­dos do Pa­ra­gu­ai por ONGs es­quer­dis­tas

E as ter­ras, ho­je das mais ri­cas do Mun­do fo­ram trans­for­ma­das em Re­ser­va In­dí­ge­na no go­ver­no Dil­ma, re­pe­tin­do e lem­bran­do a idi­os­sin­cra­sia que in­fe­liz­men­te acon­te­ceu com a ri­quís­si­ma e es­tra­té­gi­ca Re­ser­va Ra­po­sa do Sol em Ro­rai­ma. 
Fi­que aten­to com es­te lo­cal, pois es­ta­rá em fo­co ain­da pe­las pró­xi­mas dé­ca­das. Além do Bra­sil ter uma das mai­o­res re­ser­vas des­te ma­ra­vi­lho­so e es­tra­té­gi­co po­ten­ci­al, te­mos 98% ain­da de to­do o Nió­bio do Mun­do.
A em­pre­sa Grap­he­ne-In­fo, ba­se­a­da em Is­ra­el afir­ma aber­ta­men­te e con­tun­den­te­men­te que to­das as tec­no­lo­gi­as à ba­se de si­lí­cio e lí­tio se­rão sub­sti­tu­í­das pe­lo Gra­fe­no, re­vo­lu­ci­o­nan­do tu­do re­la­ci­o­na­do à in­for­má­ti­ca, sen­so­res, ba­te­rias, con­du­to­res, dis­plays e mo­ni­to­res além da ge­ra­ção de ener­gia, me­di­ci­na, pro­du­ção de água po­tá­vel, den­tre mui­tos ou­tros usos prá­ti­cos e es­tra­té­gi­cos, co­mo até tu­bu­la­ções sen­sí­veis sub­ma­ri­nas e aé­re­as. 
No ca­so das ba­te­rias, o que exis­te ho­je em tes­te, mos­tra que uma ba­te­ria de ce­lu­lar de Gra­fe­no po­de­rá ser re­car­re­ga­da to­tal­men­te em cin­co mi­nu­tos ape­nas. Já exis­te uma de­fi­ni­ção de que os chips de com­pu­ta­dor ba­se­a­dos em gra­fe­no po­de­rão ser 10 ve­zes mais ve­lo­zes que os atu­ais com um con­su­mo elé­tri­co ín­fi­mo. 
O Gra­fe­no e Ter­ras Ra­ras po­dem vi­a­bi­li­zar se­mi­con­du­to­res e pro­ces­sa­do­res da Mi­cro Ele­trô­ni­ca, ba­te­rias de ul­ti­ma ge­ra­ção, te­las su­per­fi­nas sen­sí­veis ao to­que e aços de li­gas le­vís­si­mas, den­tre ou­tras apli­ca­ções no se­tor de pon­ta da Al­ta Tec­no­lo­gia.
Atu­al­men­te exis­tem no Mun­do cer­ca de 100 em­pre­sas tra­ba­lhan­do nes­te es­pe­cia­lís­si­mo de­ri­va­do do Gra­fi­te. Ape­nas 16 de­las tem ca­pi­tal ab er­to.

(Ge­ó­lo­go da Ama­zô­nia Jo­ão Jo­sé de
 Sou­sa Jr)