Detectores celestes de monóxido de carbono podem alertar para um mundo distante repleto de formas de vida simples.

MAIS NOTÍCIAS

Para alguns mundos distantes, o monóxido de carbono pode realmente ser compatível com uma biosfera microbiana robusta.


Astrônomos assumiram que um acúmulo de monóxido de carbono na atmosfera de um planeta seria um sinal claro de falta de vida. Agora, uma equipe de pesquisadores liderada pela UC Riverside está argumentando o contrário: os detectores celestes de monóxido de carbono podem realmente nos alertar para um mundo distante repleto de formas de vida simples.
"Com o lançamento do Telescópio Espacial James Webb daqui a dois anos, os astrônomos poderão analisar as atmosferas de alguns exoplanetas rochosos", disse Edward Schwieterman, principal autor do estudo e membro do Programa de Pós-Doutorado da NASA no Departamento de Ciências da Terra da UCR. "Seria uma pena ignorar um mundo habitado porque não consideramos todas as possibilidades."
Em um estudo publicado no The Astrophysical Journal, a equipe de Schwieterman usou modelos computacionais de qu…

Marcos Pontes e a super bateria de grafeno.

Jair Bolsonaro deu a Marcos Pontes ministro da Ciência e Tecnologia, a missão de tirar da prancheta a “superbateria de grafeno”.

O grafeno é  um material impressionante, destacando atributos como leveza, resistência, flexibilidade, resistência à oxidação e tamanho, o que o torna um elemento excelente na construção de equipamentos eletrônicos.
Se o grafeno se consolidar na indústria, no futuro, eletrônicos poderão ser completamente recarregados em questão de minutos, e isso certamente será uma grande revolução.

Comentários