Número de mortos em Moçambique pode ultrapassar 1.000, mais de 15.000 pessoas estão desaparecidas após destruição massiva do Ciclone Tropical "Idai".

MAIS NOTÍCIAS

Milhares de pessoas ainda precisam ser resgatadas após um ciclone devastador atingir os países da África Austral. Espera-se que o número de mortos atinja pelo menos 1.000 pessoas, com uma estimativa de 15.000 pessoas ainda desaparecidas. Os sobreviventes estão enfrentando uma crise humanitária, com os sistemas de água e saneamento fortemente danificados pela tempestade.

Milhares de pessoas estão fazendo uma viagem sinistra até à cidade da Beira, em Moçambique, que, embora fortemente danificada, é agora um centro de esforços de salvamento. Alguns caminhavam por estradas esculpidas pelas águas revoltas, enquanto outros eram transportados por pescadores locais. Helicópteros saíram à chuva para mais um dia de esforços para encontrar pessoas agarradas a telhados e árvores. O número confirmado de mortes no Zimbábue, vizinho de Moçambique e Maláui, superou 500 na quinta-feira, com centenas mais temidas em áreas totalmente submersas pelo ciclone Idai. Aqueles que chegam à Beira …

Nossa vizinha Andrômeda, canibalizou uma das maiores galáxias do Grupo Local

Em um estudo publicado na revista Nature Astronomy, pesquisadores mostraram que há cerca de 2 bilhões de anos, a galáxia de Andrômeda canibalizou uma das maiores galáxias do Grupo Local, transformando-a na estranha galáxia compacta conhecida como M32 que vemos ligada a Andrômeda hoje.

Milky Way
Simulação de colisão de galáxias (Crédito da imagem: NASA Gifs)

Esta enorme colisão despojou a galáxia progenitora do M32 (apelidada de M32p) da maior parte de sua massa, levando-a de uma massa de 25 bilhões de solares para apenas alguns bilhões de massas solares.
A história da formação de Andrômeda é um pouco obscura. Embora alguns estudos anteriores tenham sugerido que Andrômeda cresceu ao longo das eras ao fundir-se firmemente com muitas galáxias menores, outras indicam que o colosso galáctico passou por uma única grande fusão em algum momento de seu passado.

Para investigar como Andrômeda acumulou sua massa, os autores do novo estudo fizeram simulações cosmológicas da formação de galáxias para mostrar que as propriedades observadas de Andrômeda - incluindo um halo de estrelas enorme, mas quase invisível - podem ser bem explicadas por uma única grande fusão com o que já foi a terceira maior galáxia do Grupo Local, M32p. Esta galáxia morta há pelo menos 20 vezes a massa de qualquer galáxia que já se fundiu com a Via Láctea. E, com base no estudo, seu cadáver ainda está viajando em torno de Andromeda na forma de M32.

Image credit: Alistair Symon of http://www.woodlandsobservatory.com/

"M32 é estanha", disse Bell. “Embora pareça um exemplo compacto de uma galáxia elíptica antiga, ela tem muitas estrelas jovens. É uma das galáxias mais compactas do universo. 
Não há outra galáxia como esta.

De acordo com os pesquisadores, esse cenário de fusão dominante também explica por que Andrômeda tem uma enorme população de estrelas de idade intermediária, ricas em metal, em seu halo estelar, o que não seria o caso se a galáxia sofresse surtos esporádicos de formação estelar durante múltiplas pequenas fusões. 
Além disso, uma única grande colisão explicaria por que Andrômeda possui um disco espesso e sofreu uma explosão significativa na formação de estrelas há cerca de 2 bilhões de anos, quando cerca de 20% de suas estrelas nasceram.

"A galáxia de Andrômeda, com uma explosão espetacular de formação de estrelas, seria muito diferente 2 bilhões de anos atrás", disse Bell. 
“Quando eu estava na pós-graduação, me disseram que entender como a galáxia de Andrômeda e sua galáxia de satélite M32 se formariam seria um longo caminho para desvendar os mistérios da formação de galáxias.”
                     
Fonte:
Astronomy.com
Department of Astronomy, University of Michigan, Ann Arbor, MI, USA
Richard D’Souza & Eric F. Bell
Vatican Observatory, Specola Vaticana V-00120, Vatican City State, Italy
Richard D’Souza