TERREMOTO - Goiás foi atingido por dois terremotos em menos de uma hora.

MAIS NOTÍCIAS

O Observatório Sismológico da UnB registrou dois terremotos de magnitudes 3.5 e 3.0 na cidade de em Aruanã, no interior de Goiás. Não houve registro de danos.


Fique ligado! Acompanhe nosso SITE! Monitore as tempestades AQUI Monitore o SolAQUI
MAIS NOTÍCIAS

Super-Terra congelada orbita a estrela de Barnard, o segundo sistema estelar mais próximo da Terra

A apenas seis anos-luz da Terra, o segundo sistema estelar mais próximo do nosso Sol abriga uma super-Terra congelada, de acordo com novas descobertas feitas por uma equipe internacional de pesquisadores.

Let's Lose the Term "Habitable Zone" for Exoplanets
Artist’s concept. Credit: NASA Ames, SETI Institute, JPL-Caltech

A estrela de Barnard é um tipo pequeno e antigo de sol chamado anão vermelho. E embora não seja facilmente visível sem um telescópio, a estrela de Barnard há muito tempo atrai o olhar dos astrônomos como a estrela que mais se move no céu noturno. Os astrônomos agora dizem que também abriga um exoplaneta congelado pelo menos três vezes maior que a Terra, tornando-o uma super-Terra. Uma equipe colaborativa de pesquisadores dos projetos Red Dots e CARMENES, ambos esforços para encontrar planetas em volta de anãs vermelhas próximas, usou uma variedade de telescópios para descobrir esse exoplaneta, conhecido como o aster b de Barnard, e explorar suas características. A equipe da Red Dots também esteve envolvida na recente descoberta de planetas ao redor do sistema estelar mais próximo da Terra, Proxima Centauri. Estas últimas descobertas foram publicadas na quarta-feira (14 de novembro) na revista Nature.
Super-Terra Congelada


A estrela b de Barnard tem algumas diferenças importantes da Terra. O exoplaneta orbita sua estrela em cerca de 233 dias, muito menos do que a órbita da Terra em 365 dias, mas mais do que muitos outros exoplanetas conhecidos descobertos até hoje. O exoplaneta também está muito mais próximo de sua estrela do que a Terra está com o Sol, a apenas 0,4 vezes a distância entre a Terra e o Sol. Mas, apesar de estar tão perto de sua estrela, a luz da estrela de Barnard fornece ao exoplaneta apenas 2% da energia que o Sol fornece à Terra. Isso significa que, embora o exoplaneta esteja próximo de sua estrela, ainda está frio o suficiente para que a água congele. Os pesquisadores descobriram que o exoplaneta provavelmente tem uma temperatura de cerca de -274 graus Fahrenheit (-170 graus Celsius).

Artistic impression of a sunset from Barnard’s star b courtesy of Martin Kornmesser/ESO.

Ainda há muitos mistérios em torno desse exoplaneta recém-descoberto. "Eu acho que um grande desconhecido é se tem uma atmosfera ou não", disse Johanna Teske, pesquisadora da Carnegie Science e autora do estudo, em um comunicado de imprensa. "Se este planeta tivesse uma atmosfera, talvez isso pudesse manter a temperatura da superfície mais quente", acrescentou Teske.
Encontrando o Planeta Barnard
Para encontrar a estrela b de Barnard, esses pesquisadores usaram o efeito Doppler. À medida que um planeta orbita uma estrela, a força gravitacional do planeta faz com que sua estrela oscile um pouco. Quando o planeta se aproxima da estrela, a luz das estrelas é deslocada para comprimentos de onda azuis mais curtos (chamada blueshift) e quando o planeta se afasta da estrela, a luz das estrelas muda para comprimentos de onda vermelhos mais longos (redshift).


Obsevatórios

Entre outros instrumentos, os pesquisadores usaram o espectrógrafo HARPS no telescópio de 3.6 metros do Observatório Europeu do Sul, no Chile, para observar e medir esses efeitos do planeta em uma estrela de Barnard.

Mas também não foi tarefa fácil. A estrela de Barnard tem uma longa história de astrônomos fazendo declarações duvidosas de exoplanetas, e os pesquisadores tomaram muito cuidado para evitar a repetição da história.

"Usamos observações de sete instrumentos diferentes, abrangendo 20 anos de medições", disse Ignasi Ribas, cientista-chefe da equipe (Instituto de Estudos Espaciais da Catalunha e Instituto de Ciências Espaciais, CSIC na Espanha).