TERREMOTO - Goiás foi atingido por dois terremotos em menos de uma hora.

MAIS NOTÍCIAS

O Observatório Sismológico da UnB registrou dois terremotos de magnitudes 3.5 e 3.0 na cidade de em Aruanã, no interior de Goiás. Não houve registro de danos.


Fique ligado! Acompanhe nosso SITE! Monitore as tempestades AQUI Monitore o SolAQUI
MAIS NOTÍCIAS

Um hominídeo no céu com os asteroides

Há pouco mais de 4 bilhões de anos, os planetas do nosso sistema solar coexistiam com um grande número de pequenos objetos rochosos e/ou de gelo orbitando o Sol. 
Estes foram os últimos remanescentes dos planetesimais - os blocos de construção primitivos que formaram os planetas.

A maioria desses objetos remanescentes foi então perdida, à medida que mudanças nas órbitas dos planetas gigantes os espalharam para os confins distantes do sistema solar ou além.
Mas alguns foram capturados em duas regiões menos distantes, perto de pontos onde a influência gravitacional de Júpiter e do Sol se equilibram, e permaneceram presos lá, praticamente intocados, por bilhões de anos.

Imagem conceitual da missão Lucy para os asteróides de Tróia. Créditos: NASA / SwRI

A missão Lucy da NASA vai voar por seis desses planetesimais presos - os asteróides Trojan Jupiter - dando à humanidade seu primeiro vislumbre desses objetos antigos. Ao estudar esses fósseis de formação planetária, a missão de Lucy poderia revelar tanto sobre o desenvolvimento do sistema solar quanto o fóssil de Lucy sobre a evolução humana. E a caminho dos troianos, Lucy visitará um asteroide que a equipe nomeou Donaldjohanson, em homenagem ao antropólogo que descobriu o esqueleto fossilizado de nosso ancestral.

"Os Trojans possuem pistas vitais para a origem do Sistema Solar porque são sobras remanescentes, e assim foram testemunhas do processo que construiu os planetas", disse o pesquisador-chefe Harold Levison, do Southwest Research Institute, em Boulder, Colorado.

Uma característica que os troianos têm em comum é que eles são escuros. "Eles refletem apenas quatro ou cinco por cento da luz que os atinge", disse Noll. “Isso é muito escuro. O pavimento preto na estrada é muito mais reflexivo ”.

O que escurece os troianos é um mistério que pode ter implicações surpreendentes para a nossa Terra. "Objetos escuros podem ter compostos orgânicos (contendo carbono) em suas superfícies", disse a cientista sênior Amy Simon. “Se muitos dos Trojans que pesquisamos mostrarem evidências de compostos orgânicos, isso implicará que os blocos de construção para a vida eram comuns ao longo do sistema solar primitivo.”

Um conceito de artista da Missão Lucy. Crédito: SwRI

A coleta de dados será vital para o sucesso da Lucy. A missão levará quatro instrumentos em sua carga útil: L'Ralph, consistindo de MVIC (Câmera de Imagem Visível Multiespectral), um imageador multicolorido e o LEISA (Linear Etalon Imaging Spectral Array), um espectrógrafo que fornecerá informações sobre a superfície composição; L'LORRI (Long Range Reconnaissance Imager), uma câmera de alta resolução; e o L´TES (Espectrômetro de Emissão Térmica), que medirá a temperatura da superfície dos Trojans.

E, além dos instrumentos científicos, as comunicações da Lucy (rádio) e o sistema de aquisição de alvos (TTCam) contribuirão para a missão da ciência. L'Ralph analisará as superfícies dos Trojans em busca da presença de diferentes silicatos, gelos e produtos orgânicos nesses asteróides. L'LORRI tirará fotos de alta definição dos cavalos de Troia, complementados pelo TTCam, na melhor abordagem. A L´TES investigará o estado físico das superfícies dos cavalos de Tróia e os dados do rádio serão usados ​​em conjunto com os dados de imagem para determinar suas massas e densidades.

Lucy está programada para ser lançada em outubro de 2021, voando por mais alvos em diferentes órbitas ao redor do Sol do que qualquer outra missão na história.

Este é o patch para a missão Lucy. Créditos: NASA / SwRI


A missão Lucy é liderada pelo Dr. Harold Levison e sua equipe no Southwest Research Institute e é gerenciada pelo Goddard Space Flight Center da NASA. Os instrumentos de Lucy são desenvolvidos por Goddard, Arizona State University, e pelo Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins. A espaçonave será desenvolvida e construída pela Lockheed Martin. Após sua construção, Lucy passará por mais testes e, em três anos, será lançada em uma missão que mudará para sempre nosso conhecimento do sistema solar.

Fonte: NASA
Para mais informações sobre a missão Lucy, visite: www.nasa.gov/lucy


Como foi a sua experiência com a leitura? Boa ou ruim? Faça críticas e deixe suas dicas nos comentários abaixo para melhorarmos o Site. 
Até a próxima!