Detectores celestes de monóxido de carbono podem alertar para um mundo distante repleto de formas de vida simples.

MAIS NOTÍCIAS

Para alguns mundos distantes, o monóxido de carbono pode realmente ser compatível com uma biosfera microbiana robusta.


Astrônomos assumiram que um acúmulo de monóxido de carbono na atmosfera de um planeta seria um sinal claro de falta de vida. Agora, uma equipe de pesquisadores liderada pela UC Riverside está argumentando o contrário: os detectores celestes de monóxido de carbono podem realmente nos alertar para um mundo distante repleto de formas de vida simples.
"Com o lançamento do Telescópio Espacial James Webb daqui a dois anos, os astrônomos poderão analisar as atmosferas de alguns exoplanetas rochosos", disse Edward Schwieterman, principal autor do estudo e membro do Programa de Pós-Doutorado da NASA no Departamento de Ciências da Terra da UCR. "Seria uma pena ignorar um mundo habitado porque não consideramos todas as possibilidades."
Em um estudo publicado no The Astrophysical Journal, a equipe de Schwieterman usou modelos computacionais de qu…

O Presidente Jair Messias Bolsonaro sobrevou Brumadinho/MG


O Presidente partiu da Base Aérea de Brasília e desembarcou em Confins, área metropolitana de Belo Horizonte, por volta das 9h30. 
Ele foi recebido pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema, no aeroporto e do local embarcaram em um helicóptero para sobrevoar a região afetada pelo desastre para averiguação

Imagem: Isac Nóbrega/Presidência da República

Também participaram da averiguação do desastre o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, o ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Alberto Santos Cruz, e o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros.

Os ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente), Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional) e Bento Albuquerque (Minas e Energia), e o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Alves, se deslocaram para a região na tarde de ontem.

Bolsonaro e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, assinaram 1 decreto que institui o Comitê de Gestão e Avaliação dos Desastres da Barragem de Córrego de Feijão, na cidade mineira de Brumadinho. 
A medida foi publicada na edição de 6ª feira (25 jan) e também cria o Conselho Ministerial de Supervisão de Trabalhos.

O governo federal determinou a formação de 2 gabinetes de crise para apurar a situação: 1 político, no Palácio no Planalto, e outro operacional, no Ministério do Meio Ambiente.




O Corpo de Bombeiros informou na manhã deste sábado que pelo menos 10 pessoas foram mortas pelo desastre e cerca de 300 estão desaparecidas. 
A Vale do Rio do Doce divulgou uma lista com nome de funcionários com os quais não foi conseguido contato. 
De acordo com dados divulgados às 9h, são 413 trabalhadores, dos quais 90 são terceirizados.


Comentários