Número de mortos em Moçambique pode ultrapassar 1.000, mais de 15.000 pessoas estão desaparecidas após destruição massiva do Ciclone Tropical "Idai".

MAIS NOTÍCIAS

Milhares de pessoas ainda precisam ser resgatadas após um ciclone devastador atingir os países da África Austral. Espera-se que o número de mortos atinja pelo menos 1.000 pessoas, com uma estimativa de 15.000 pessoas ainda desaparecidas. Os sobreviventes estão enfrentando uma crise humanitária, com os sistemas de água e saneamento fortemente danificados pela tempestade.

Milhares de pessoas estão fazendo uma viagem sinistra até à cidade da Beira, em Moçambique, que, embora fortemente danificada, é agora um centro de esforços de salvamento. Alguns caminhavam por estradas esculpidas pelas águas revoltas, enquanto outros eram transportados por pescadores locais. Helicópteros saíram à chuva para mais um dia de esforços para encontrar pessoas agarradas a telhados e árvores. O número confirmado de mortes no Zimbábue, vizinho de Moçambique e Maláui, superou 500 na quinta-feira, com centenas mais temidas em áreas totalmente submersas pelo ciclone Idai. Aqueles que chegam à Beira …

Brasileiros ocupam 100% das vagas do Programa Mais Médicos.


As mais de 8,5 mil vagas do atual edital do Mais Médicos, abertas após o fim da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde, foram preenchidas por brasileiros.


Médicos brasileiros formados no exterior já selecionaram os municípios e preencheram as 1,4 mil vagas de trabalho disponíveis no programa Mais Médicos. O Ministério da Saúde divulgou, nesta quarta-feira (13), a relação dos locais com vagas remanescentes para a segunda fase, que foram todas ocupadas antes das 9h.

Os postos disponibilizados faziam parte da primeira etapa do Edital nº 22/2018 do programa. O prazo para a candidatura terminaria, inicialmente, na próxima quinta-feira (14). O próximo passo será a divulgação, pelo Ministério da Saúde, da lista completa dos profissionais alocados em cada município. O resultado sai na próxima terça-feira (19).

De acordo com a Portaria nº20/2019, todos os profissionais alocados nesta etapa, que não tiverem o Registro do Ministério da Saúde (RMS), realizarão um módulo de acolhimento, no qual terão aulas e passarão por avaliação da coordenação nacional do programa.

Todas as mais de 8,5 mil vagas do atual edital do programa Mais Médicos, que ficaram abertas após o fim da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), foram preenchidas por profissionais brasileiros. “Com isso, não deve haver chamada para profissionais de outros países para este edital de reposição”, informa o Ministério Saúde.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Diário Oficial da União e do Ministério da Saúde