ATENÇÃO! Cinzas do Vulcão Ubinas sobre SP, PR e RJ!

MAIS NOTÍCIAS

Vulcão Ubinas, no Peru, registra maior explosão em 300 anos. Texto de Everton S. Gonçalves  Pluma de cinzas vulcânicas chegam sobre o centro sul do Brasil nessa manhã de sábado, originada da erupção do vulcão Ubinas no Peru.



Mais cedo estavam concentradas sobre PR e SP. Agora estão concentradas entre SP e RJ, avançando para o mar.  Como estão em altitudes bem elevadas, vai ser pouco sentido pela população. 
No máximo, o céu vai ficar cinzento durante o dia e o pôr do sol pode ser diferenciado, na luminosidade e cores, principalmente mais avermelhado e rosado.
Em 2015 as cinzas do Vulcão Cabulco, no Chile, chegaram ao Sudeste do Brasil. As imagens abaixo mostram o efeito óptico atmosférico causados pelas cinzas ao Pôr do Sol.



Mas vale destacar que cinzas vulcânicas são um grande risco para a aviação. Queromos acreditar que nossas autoridades estejam monitorando essa situação.




Com informações de Everton S. Gonçalves 
Em atualização...
Fique ligado! Acompanhe nosso SITE! Monitore…

CICLONE - Até o momento são 122 mortos em Moçambique, Zimbabwe e Malawi. Pelo menos 140 estão desaparecidos.

MAIS NOTÍCIAS

O Ciclone Tropical "Idai" chegou às 23:30 UTC em 14 de março de 2019, perto da cidade da Beira (população 534 000), Moçambique como Ciclone Tropical Intenso, com ventos de até 170 km/h.
@ECHO_CESAfrica

Idai tornou-se o desastre meteorológico mais mortal do ano, no mundo, mesmo antes de atingir o continente, com pelo menos 122 pessoas mortas (66 em Moçambique, Zimbabwe e 56 no Malawi), milhares de casas destruídas e quase 1 milhão afetadas.

Às 00:00 UTC de 15 de março, os olhos de Idai estavam quase totalmente sobre a terra, com a cidade de Beira localizada a 12 quilômetros do centro. 
Os primeiros relatórios mencionam 500 mil moradores da cidade de Beira, a quarta maior cidade de Moçambique, sem eletricidade, sem comunicação e danos significativos à cidade, com telhados improvisados e árvores arrancadas.


O Instituto Nacional de Gestão de Desastres de Moçambique (INGC) disse que casas foram destruídas e postes derrubados na cidade, acrescentando que a cidade costeira de Chinde (400 km) de  Beira também foi gravemente atingida.
Além disso, aldeias vizinhas foram isoladas do continente por um surto de maré de 2 metros.
Devido ao mau tempo, todos os voos para Beira, Moçambique foram cancelados.
Enquanto o impacto total da tempestade ainda está a emergir, sabemos que pelo menos 145 casas foram arrastadas e 4 grandes pontes foram danificadas dentro e em redor da Beira. A falta de comunicação continua a dificultar a coleta de dados no local, disseram as autoridades. A IFRC África disse que os seus colegas indicam que muitas partes da Beira foram seriamente danificadas.
De acordo com o OCHA, estimativas preliminares sugerem que até 600.000 pessoas podem ter sido gravemente afectadas em Moçambique, incluindo 100.000 pessoas já afetadas pelas inundações no início de Março nas Províncias de Tete e Zambézia.

O Ministério da Informação do Zimbábue disse que a cidade de Chimanimani foi cortada do resto da província de Manicaland. Pelo menos 25 casas foram varridas no distrito de Ngangu. Muitas pessoas ainda estão desaparecidas.
Estima-se que o número de mortes aumente em ambos os países.

Fonte: Watchers