TERREMOTO - Goiás foi atingido por dois terremotos em menos de uma hora.

MAIS NOTÍCIAS

O Observatório Sismológico da UnB registrou dois terremotos de magnitudes 3.5 e 3.0 na cidade de em Aruanã, no interior de Goiás. Não houve registro de danos.


Fique ligado! Acompanhe nosso SITE! Monitore as tempestades AQUI Monitore o SolAQUI
MAIS NOTÍCIAS

Diretora de Cmei é agredida por assessor de vereador, em Goiânia

MAIS NOTÍCIAS

Vereador afirmou que já solicitou a exoneração do assessor.

Keilly Mágila Gonçalves quis evitar que fosse colocada uma faixa na frente da instituição em agradecimento ao político pela construção de uma praça. Segundo ela, não foi ele quem conseguiu a obra. - Tony Cinegrafista

A diretora de um Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) em Goiânia foi agredida na tarde desta quarta-feira (13). Keilly Mágila Gonçalves Assis Moura foi atacada depois que tentou impedir um assessor do vereador Paulo Magalhães (PSD) de fixar uma faixa no muro da instituição de ensino.

A agressão aconteceu por volta das 13 horas, no Residencial Buena Vista.
De acordo com a Polícia Militar, dois homens foram à instituição de ensino para colocar uma faixa do vereador no local. Enquanto a diretora conversava com um deles para impedir a fixação da publicidade ali, o outro a atingiu com um chute nas costas. A vítima bateu com o rosto no muro e se machucou.

Em um vídeo gravado por um dos funcionários do Cmei, é possível ver a diretora caída no chão. Ela foi ajudada por funcionários da escola. As imagens também mostram o suposto agressor, que, enquanto recolhe a faixa, afirma que estava trabalhando.
Após a agressão, a vítima foi encaminhada para o Centro de Atendimento Integrado à Saúde (Cais) do Bairro Goiá. De lá seguiu para o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

A filha da vítima, Letícia Gonçalves Assis, afirmou ao Mais Goiás que, até as 19h40, a mãe estava na sala de emergência do Hugol. Segundo ela, Keilly está passando por exames para saber a gravidade do estado de saúde.

“Ela está consciente, mas com o rosto todo inchado e cortado. Ela também tem dificuldades na fala”, disse Letícia. “Estamos aguardando a realização de exames para saber se houve alguma fratura. Os médicos falaram que não tem previsão de alta. Estamos aguardando para ir ao IML e fazer o boletim de ocorrência”, disse Letícia.
Exonerado
A assessoria do vereador Paulo Magalhães afirmou que o político já solicitou a exoneração do suspeito. Através de nota, o vereador afirmou que “lamenta profundamente o ato e deixa claro não compactuar com qualquer ato de violência, sobretudo, contra as mulheres”. O nome do suspeito não foi revelado.


Fontes: Youtube/www.emaisgoias.com.br