Nasa registra terremoto, um "Marsquake", em Marte, pela primeira vez.

MAIS NOTÍCIAS

O módulo Mars InSight da NASA mediu e registrou pela primeira vez um provável "marsquake". O fraco sinal sísmico, detectado pelo instrumento Sísmico de Experimentação para Estrutura Interior (SEIS), foi registrado em 6 de abril, o dia marciano de 128º, ou sol. Este é o primeiro tremor registrado que parece ter vindo de dentro do planeta, em oposição a ser causado por forças acima da superfície, como o vento.  Os cientistas ainda estão examinando os dados para determinar a causa exata do sinal.


Primeiro Provável Marsquake Ouvido pela InSight da NASA: Este vídeo e áudio ilustram um evento sísmico detectado pelo InSight da NASA em 6 de abril de 2019, o 128º dia marciano da missão.  "As primeiras leituras da InSight continuam a ciência que começou com as missões Apollo da NASA", disse Bruce Banerdt, do Investigador Principal da InSight, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa (JPL), em Pasadena, Califórnia. "Nós estamos coletando ruído de fundo até …

Jovem alegou que as pessoas vivem ‘num inferno’, e matá-las, as livrariam do sofrimento.

MAIS NOTÍCIAS

Ele foi apreendido por planejar um ato de terrorismo.
Os policiais civis da Delegacia de Polícia (DP) de Pontalina cumpriram nesta segunda-feira (18) mandado de busca e apreensão de um adolescente de 17 anos. 

Foto: Polícia Civil do Estado de Goiás

A Polícia Civil descobriu que o menor planejava um ataque a uma escola de Pontalina, o que levou à realização de investigações no sentido de qualificar o adolescente e representar à Justiça por sua apreensão. O mandado foi expedido pela Vara da Infância e Juventude da cidade.

Também foi cumprido mandado de busca e apreensão na residência do adolescente, onde foram apreendidos uma capa, uma máscara, desenhos, um coturno e um arco e flechas. A polícia também recolheu uma arma de fogo e munições, as quais pertenciam ao pai do adolescente, que também foi autuado em flagrante.

O adolescente tinha planos de executar um massacre na escola onde estudava. Ele alegou que já sofreu bullying, que as pessoas vivem ‘num inferno’, e que, ao matá-las, ele livraria essas pessoas do sofrimento.

Durante a oitiva, o adolescente confirmou que ainda não tinha executado o massacre porque não teve acesso a arma de fogo de repetição. A última vez que pensou em executar o plano foi dias antes do carnaval.

O menor também foi questionado se não tinha medo da reprovação social após executar um plano dessa natureza, ao que alegou que não, pois se mataria em seguida, sem sentir remorso. E lembrou dos massacres recentes acontecidos numa escola em Suzano (SP) e numa mesquita da Nova Zelândia.

O adolescente reponderá a Auto de Investigação de Ato Infracional por apologia a crime e atos preparatórios de terrorismo. Após audiência de apresentação no fórum de Pontalina, foi recolhido em local apropriado.

Fonte: Polícia Civil do Estado de Goiás