Bolsonaro visita a CIA - o encontro sinalizou a disposição do governo brasileiro em estreitar laços no combate aos crimes transnacionais.

MAIS NOTÍCIAS

O presidente Jair Bolsonaro foi na manhã de ontem (18), à Agência de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) para uma visita de cortesia.
Ele foi recebido pela diretora da agência, Gina Haspel. Segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, o encontro sinalizou a disposição do governo brasileiro em estreitar laços com a CIA no combate aos crimes transnacionais. “Foi uma visita de cortesia para, a partir daí, estabelecer esse foco de cooperação na área do crime organizado, dos crimes transnacionais e, eventualmente, os acordos na área de inteligência”, disse o porta-voz.  A visita não entrou na agenda oficial e a imprensa não foi avisada.  Rêgo Barros afirmou que a visita foi decidida pelo presidente no avião, rumo a Washington, capital do país. Presidente @jairbolsonaro chega aos EUA para primeira visita oficial ao país. O objetivo é promover uma agenda positiva entre os dois países. Na terça (19), está previsto encontro com o presidente Donald Trum…

Policial militar acusado de matar Marielle Franco contratou, no passado, advogado de familiares de Beira-Mar.

MAIS NOTÍCIAS

Preso ontem pelo assassinato de Marielle Franco, o PM reformado Ronnie Lessa foi defendido numa causa cível pelo criminalista Sergio Alves Teixeira Júnior, advogado de familiares de Fernandinho Beira-Mar e de outros poderosos integrantes da cúpula do Comando Vermelho.

Com seu nome indexado em mais de 330 processos, Sérgio Teixeira tem entre seus principais clientes Luan Medeiros da Costa, filho de Beira-Mar, e Marcos José Monteiro Carneiro (o Periquito), compadre e braço-direito do megatraficante, além de seu filho Maicon Monteiro Carneiro.

Sérgio Teixeira também advoga para Saulo Oliveira (o Saulo Beira-Mar), que era considerado uma espécie de sucessor do megatraficante até ser preso em 2017. Em 2004, o advogado foi indiciado por crime de facilitação de fuga do traficante Leandro Aparecido de Jesus Sabino, o DJ.

Há algum tempo, o MP do Rio investiga a parceria de milicianos com traficantes, especialmente no fornecimento de armas e informações privilegiadas – as chamadas “narcomilícias”. O esclarecimento do assassinato de Marielle passa, necessariamente, pela apuração de uma eventual ligação de Ronnie com Beira-Mar.

Fonte: O Antagonista

Comentários