ATENÇÃO! Cinzas do Vulcão Ubinas sobre SP, PR e RJ!

MAIS NOTÍCIAS

Vulcão Ubinas, no Peru, registra maior explosão em 300 anos. Texto de Everton S. Gonçalves  Pluma de cinzas vulcânicas chegam sobre o centro sul do Brasil nessa manhã de sábado, originada da erupção do vulcão Ubinas no Peru.



Mais cedo estavam concentradas sobre PR e SP. Agora estão concentradas entre SP e RJ, avançando para o mar.  Como estão em altitudes bem elevadas, vai ser pouco sentido pela população. 
No máximo, o céu vai ficar cinzento durante o dia e o pôr do sol pode ser diferenciado, na luminosidade e cores, principalmente mais avermelhado e rosado.
Em 2015 as cinzas do Vulcão Cabulco, no Chile, chegaram ao Sudeste do Brasil. As imagens abaixo mostram o efeito óptico atmosférico causados pelas cinzas ao Pôr do Sol.



Mas vale destacar que cinzas vulcânicas são um grande risco para a aviação. Queromos acreditar que nossas autoridades estejam monitorando essa situação.




Com informações de Everton S. Gonçalves 
Em atualização...
Fique ligado! Acompanhe nosso SITE! Monitore…

Esculturas magnetizadas por raios, há 2.000 anos.

MAIS NOTÍCIAS

Publicado no Journal of Archaeological Science
Achados arqueológicos da Mesoamérica e de outras partes do Novo Mundo produziram evidências intrigantes, ainda que inconclusivas, para uma apreciação inicial do magnetismo entre os povos nativos americanos.

anthropology.si.edu

Aqui utilizamos magnetômetros de varredura e de mão para mapear a distribuição da magnetização em onze esculturas de barris de basalto da região de Monte Alto, hoje abrigada em La Democracia, Guatemala, datada da segunda metade do primeiro milênio aC.
Nossos escaneamentos magnéticos de resolução de 1cm, realizados em quatro esculturas, revelam pela primeira vez que eles foram originalmente magnetizados por relâmpagos pré-datando o processo de esculpir.

Esculturas maciças antigas da Guatemala, como essa figura redonda, incluem áreas magnetizadas, possivelmente destinadas a mostrar o poder contínuo de ancestrais falecidos.

Quantificamos a área e a morfologia das anomalias magnéticas, demonstrando que a correspondência entre anomalias magnéticas nas esculturas e características anatômicas específicas é não aleatória ao nível de P = 0,01, o que é consistente com a conclusão qualitativa de um estudo inicial de Malmström ( 1976).
 1976 - Vincent Malmstrom

Por cerca de dez dólares, você pode obter um conjunto de pequenos lodestones e fazer suas próprias experiências.

A colocação aparentemente intencional de características anatômicas esculpidas e regiões magnetizadas pré-existentes implica que os escultores foram capazes de detectar a presença de campos magnéticos anômalos, o que pode ter sido facilitado por lodestones semelhantes a artefatos de óxido de ferro e espelhos de minério de ferro.
Nossas observações reforçam a necessidade de uma consciência do magnetismo no antigo Novo Mundo.

Fontes:
Journal of Archaeological Science
misfitsandheroes