Cristão, Abiy Ahmed, ganha o Nobel da Paz por promover acordo de paz para Etiópia.

MAIS NOTÍCIAS

Abiy Ahmed Ali atuou para alcançar a paz no conflito entre a Etiópia e a Eritreia, país vizinho. Conteúdo: guiame O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, é o ganhador do Prêmio Nobel da Paz 2019. O nome do vencedor foi anunciado na manhã desta sexta-feira (11) pelo comitê do prêmio, na Noruega. Abiy é um cristão pentecostal evangélico da Igreja dos Crentes no Evangelho Pleno. O político superou outros favoritos para o prêmio deste ano, entre os quais o líder indígena brasileiro Raoni Metuktire e a ativista sueca Greta Thunberg. O Nobel da Paz conquistado por Abiy Ahmed foi por sua atuação para alcançar a paz no conflito entre Etiópia e a Eritreia, país vizinho. Os dois países travaram uma guerra de fronteira de 1998 a 2000. Eles restauraram as relações em julho de 2018, após anos de hostilidade.

"Quando Abiy Ahmed se tornou o primeiro-ministro em abril de 2018, ele deixou claro que desejava retomar o ritmo das negociações com a Eritreia. Em estreita cooperação…

Incêndio de grandes proporções atinge a Catedral de Notre-Dame em Paris. A Torre colapsou.

MAIS NOTÍCIAS

Incêndio atinge desde o início da tarde de hoje (15) a Catedral de Notre-Dame, no centro de Paris. A fumaça pode ser vista do topo do patrimônio considerado uma referência histórica da capital francesa.




A prefeita da cidade, Anne Hidalgo, usou sua conta pessoal no Twitter para lamentar o “terrível” acidente em curso e exaltar o trabalho dos bombeiros que estão no local tentando combater as chamas. “Estamos mobilizados no local em estreita ligação com o @dioceseParis. Peço a todos respeito ao perímetro de segurança”, destacou a prefeita.

Uma das mais importantes e famosas catedrais de Paris, a Notre-Dame, dedicada a Santa Maria, mãe de Jesus Cristo, foi construída entre 1160 e 1345, em estilo gótico. Ao longo dos anos, a catedral foi palco de cerimônias celtas e romanas, além de ter inspirado o romance conhecido como O Corcunda de Notre-Dame, do escritor francês Victor Hugo, publicado em 1831.


EBC