EBOLA - 1.400 pessoas morreram até agora no segundo maior surto da história, mas segundo a OMS, ainda não é uma emergência internacional.

MAIS NOTÍCIAS

A epidemia do vírus Ebola na África Ocidental foi o surto mais disseminado da doença na história, matando mais de 11.000 pessoas e se espalhando para dez países, incluindo Libéria, Serra Leoa, Espanha e Estados Unidos.

Em 14 de junho, a Organização Mundial de Saúde divulgou uma declaração que outro surto de Ebola na República Democrática do Congo e em Uganda é uma emergência de saúde na região, mas não atende aos critérios de uma emergência internacional. A ONU também declarou que o surto ainda não é uma emergência global, mas é "um evento extraordinário" de profunda preocupação.
No entanto, as autoridades estão preocupadas com a disseminação da doença e com o fato de não haver dinheiro suficiente para combatê-la.

"O Comitê está profundamente decepcionado com o fato de a OMS e os países afetados não terem recebido o financiamento e os recursos necessários para este surto", diz a declaração da OMS. "A comunidade internacional deve aumentar o finan…

Número de mortos chega a 45 em Shiraz. Inundações sem precedentes continuam, com até 70% da média anual de chuvas em apenas um dia no Irã.

MAIS NOTÍCIAS

Inundações sem precedentes atingem o Irã, até 70% da média anual de chuvas em apenas um dia.


Chuvas fortes e inundações continuam por todo o Irã, com 25 de suas 31 províncias afetadas desde 19 de março de 2019. As províncias mais atingidas nos últimos dias são Golestan no norte, Fars no sul e Lorestan no oeste. Em 2 de abril, o número de mortos chega a 45, com 19 na cidade de Shiraz. Dezenas de milhares de pessoas foram deslocadas.


As autoridades dizem que estão lidando com inundações extremas e chuvas fortes, que às vezes equivalem a mais da metade da média anual dentro de 24 horas.

Foto Agência Tasnim/via Reuters

A província de Golestan, por exemplo, recebeu 70% de sua precipitação anual em apenas um dia. Isto é sem precedentes nos últimos 300 anos, disse a IFRC.



As autoridades pediram aos militares para ajudarem nos esforços de resgate, incluindo helicópteros e veículos anfíbios, enquanto dezenas de milhares de pessoas evacuavam suas casas no oeste e no sudoeste do Irã.

Novos alertas de emergência foram emitidos na segunda-feira, 1 de abril, com o oeste do país esperado para ser afetado por novas inundações.



Um estado de emergência foi declarado em várias cidades da província de Lorestan, forçando milhares a deixar suas casas depois que os níveis dos três principais rios subiram drasticamente, provocando inundações repentinas.

O comandante das Forças Terrestres do Exército iraniano disse na terça-feira, 2 de abril, que 10 helicópteros já haviam chegado às áreas inundadas de Lorestan para realizar operações de resgate e socorro, e mais dois se juntariam à frota no final do dia.
Muitos dos esforços de resgate foram centralizados na cidade de Pol-e Dokhtar, onde centenas de pessoas ficaram presas em áreas cortadas por violentas torrentes de água.




Fonte: Watchers