RÚSSIA - Níveis de radiação aumentam 16 vezes após explosão de foguete com 5 mortes.

MAIS NOTÍCIAS

A agência nuclear estatal da Rússia, Rosaton, informou que o acidente ocorreu durante teste de um motor em uma plataforma marítima no Mar Branco, provocando a morte de pelo menos cinco cientistas e ferindo três.


A Rússia reconheceu neste sábado, após dois dias de silêncio, que a explosão ocorrida na última quinta-feira em uma base de lançamento de mísseis próxima do Ártico teve um caráter nuclear, com um saldo de cinco mortos.
Observem a onda de choque nos vídeos abaixo:

A explosão assustou as populações locais e fez com que as pessoas corressem às farmácias, nas cidades de Arkhangelsk e Severodvinsk, e esgotassem os estoques de iodo medicinal, usado para diminuir os efeitos da exposição à radiação.

Em comunicado, a agência nuclear russa, Rosatom, anunciou que cinco membros do seu quadro morreram na explosão e outras três pessoas sofreram queimaduras. Autoridades militares não informaram sobre a possível presença de combustível nuclear no acidente, que ocorreu na região d…

ALERTA - Tempestade geomagnética forte G3 (Kp7), atingiu a Terra nessa manhã.

MAIS NOTÍCIAS

Um filamento solar de vários graus ao sul da Região 2741 rompeu-se aproximadamente 15:14 UTC em 13 de maio de 2019 e uma tempestade geomagnética "surpresa" (Mínimo Solar) está em andamento. 


Os níveis de tempestades estão atualmente em G3 (moderadamente forte), o que significa que as auroras poderiam ser visíveis em estados norte-americanos de nível norte, como Minnesota, Michigan e Nova York. 


A razão da tempestade: uma fenda se abriu no campo magnético da Terra, permitindo que o vento solar penetrasse na magnetosfera. 
Três, ou possivelmente quatro CMEs, estão a caminho da Terra após uma série de explosões perto da mancha solar AR2741. O mais potente até agora ocorreu em 12 de maio, quando um filamento de magnetismo em torno da mancha solar se tornou instável e entrou em erupção. 

A zona de explosão tinha mais de 220.000 km de diâmetro:


Erupções similares ocorreram nos dias 10, 11 e 13 de maio, combinadas com esta, para produzir um "trem" de ejeções de massa coronal (CMEs) fracas vindo em nossa direção. 
As CMEs de entrada são leves comparados as CMEs maciços brilhantes normalmente vistos durante o máximo solar. 
No entanto, o seu efeito combinado poderia abalar o campo magnético da Terra.

Spaceweather/Watchers/Solarham/Helioviewer

Fique ligado! Acompanhe nosso SITE!
Monitore o Sol AQUI