TERREMOTO - Goiás foi atingido por dois terremotos em menos de uma hora.

MAIS NOTÍCIAS

O Observatório Sismológico da UnB registrou dois terremotos de magnitudes 3.5 e 3.0 na cidade de em Aruanã, no interior de Goiás. Não houve registro de danos.


Fique ligado! Acompanhe nosso SITE! Monitore as tempestades AQUI Monitore o SolAQUI
MAIS NOTÍCIAS

Capturado raio raro na Flórida: Raio Positivo ou Corrente Contínua.

MAIS NOTÍCIAS

Uma mulher na Flórida filmou na hora certa! 
Capturou o momento em que uma corrente contínua ou raio positivo, atingiu a frente de seu apartamento. 
O evento aconteceu em Coral Gables em 5 de maio de 2019.


Depois de verem o vídeo, os meteorologistas do NWS Miami identificaram o fenômeno como corrente contínua, também conhecida como raio positivo. Esses "ataques" originam-se nos alcances superiores de uma nuvem bigorna e perfazem menos de 5% de todos os ataques. watchers



Raio negativo: é o mais comum, sendo formado na base da tempestade. Partículas com carga elétrica negativa (elétrons) correm por uma trilha invisível em direção ao solo. Pouco antes de tocarem o chão, atraem partículas elétricas de carga positiva. A carga positiva salta em direção ao céu e fecha o circuito elétrico, que aparece na forma do raio luminoso. 



Raio positivo: neste tipo de raio, acontece o inverso. As partículas de carga positiva correm em direção ao solo e atraem as partículas negativas. Esse fenômeno era considerado raro, mas acontece com muito mais frequência do que se pensava. É um tipo de raio que se desloca para fora da nuvem, em céus aparentemente claros ou apenas ligeiramente nublados.

Ao contrário dos raios negativos, os raios positivos são originados pela parte central e superior das nuvens de tempestade (geralmente pela bigorna), ao invés da base. O líder se forma no céu viajando horizontalmente por vários quilômetros antes de virar para baixo para se juntar com os íons negativos do solo fora da nuvem. Por isso, o trovão produzido por esses raios geralmente é mais forte e duradouro.

Por causa da distância muito maior que viaja antes da descarga, os raios positivos, tipicamente, são de seis a dez vezes mais fortes que um raio negativo, e duram cerca de dez vezes mais. Como resultado de sua maior potência, bem como a falta de aviso (eles podem cair a até 50 km de distância da tempestade), os raios positivos são muito mais perigosos.
Os raios positivos são mais comuns no final da tempestade. tempojoaopessoa

Fique ligado! Acompanhe nosso SITE!
Monitore o Sol AQUI