RÚSSIA - Níveis de radiação aumentam 16 vezes após explosão de foguete com 5 mortes.

MAIS NOTÍCIAS

A agência nuclear estatal da Rússia, Rosaton, informou que o acidente ocorreu durante teste de um motor em uma plataforma marítima no Mar Branco, provocando a morte de pelo menos cinco cientistas e ferindo três.


A Rússia reconheceu neste sábado, após dois dias de silêncio, que a explosão ocorrida na última quinta-feira em uma base de lançamento de mísseis próxima do Ártico teve um caráter nuclear, com um saldo de cinco mortos.
Observem a onda de choque nos vídeos abaixo:

A explosão assustou as populações locais e fez com que as pessoas corressem às farmácias, nas cidades de Arkhangelsk e Severodvinsk, e esgotassem os estoques de iodo medicinal, usado para diminuir os efeitos da exposição à radiação.

Em comunicado, a agência nuclear russa, Rosatom, anunciou que cinco membros do seu quadro morreram na explosão e outras três pessoas sofreram queimaduras. Autoridades militares não informaram sobre a possível presença de combustível nuclear no acidente, que ocorreu na região d…

RARAS AURORAS AZUIS foram registradas em uma Tempestade Geomagnética muito fraca. E por que ocorreu, não está claro.

MAIS NOTÍCIAS

Estamos no Mínimo Solar, mas as Auroras, estranhamente lindas, estão dançando em torno dos polos. 
Por que o nitrogênio-azul superou os habituais tons de oxigênio em 11 de maio não está claro. 

Harlan Thomas, de Calgary, Alberta-Canadá

As auroras azuis são vistas com mais frequência durante intensas tempestades geomagnéticas, mas essa foi uma tempestade relativamente pequena. 
Por que o nitrogênio-azul superou os habituais tons de oxigênio em 11 de maio não está claro. 
Isso só serve para mostrar, as auroras ainda têm a capacidade de surpreender. 

Auroras azuis raras sobre o Canadá 
As luzes do norte são geralmente verdes, às vezes vermelhas. Essas são as cores que vemos quando o oxigênio é atingido por elétrons que caem do espaço durante uma tempestade geomagnética. Ontem à noite, no entanto, Harlan Thomas, de Calgary, Alberta, testemunhou uma cor diferente: azul-escuro.

Nas auroras, o azul é um sinal de nitrogênio
Partículas energéticas atingindo nitrogênio molecular ionizado (N2 +) em altitudes muito altas podem produzir um brilho azul raramente visto durante as exibições aurorais. Neste caso, foi o resplendor de um impacto de EMC (ejeção de massa coronal).


EMC (ejeção de massa coronal) deixou o sol em 6 de maio, impulsionado em nossa direção por uma explosão no dossel magnético da mancha solar AR2740. Quando finalmente chegou em 10 de maio, a lenta nuvem de tempestade sacudiu o campo magnético da Terra, provocando uma pequena tempestade geomagnética da classe G1. Auroras foram avistadas em partes do Canadá, bem como Estados dos EUA, como Michigan e Minnesota.

"Para completar, STEVE apareceu por vários minutos também", diz Thomas, que capturou nesta foto abaixo.
STEVE é uma fita quente (3000 graus C) de gás ionizado cortando a parte superior da atmosfera da Terra, cerca de 300 km acima do solo. Parece imprevisível durante algumas tempestades geomagnéticas, mas não todas. 
Originalmente, pensava-se ser uma forma de aurora boreal, mas novas pesquisas mostram que não é uma aurora totalmente.


A cor púrpura suave de STEVE também pode ser causada por emissões de nitrogênio, de acordo com um novo estudo recém publicado na Geophysical Research Letters. 
Coincidência? STEVE e auroras azuis parecem compartilhar uma conexão com o sétimo elemento da tabela periódica.
spaceweather

Fique ligado! Acompanhe nosso SITE!
Monitore o Sol AQUI