RÚSSIA - Níveis de radiação aumentam 16 vezes após explosão de foguete com 5 mortes.

MAIS NOTÍCIAS

A agência nuclear estatal da Rússia, Rosaton, informou que o acidente ocorreu durante teste de um motor em uma plataforma marítima no Mar Branco, provocando a morte de pelo menos cinco cientistas e ferindo três.


A Rússia reconheceu neste sábado, após dois dias de silêncio, que a explosão ocorrida na última quinta-feira em uma base de lançamento de mísseis próxima do Ártico teve um caráter nuclear, com um saldo de cinco mortos.
Observem a onda de choque nos vídeos abaixo:

A explosão assustou as populações locais e fez com que as pessoas corressem às farmácias, nas cidades de Arkhangelsk e Severodvinsk, e esgotassem os estoques de iodo medicinal, usado para diminuir os efeitos da exposição à radiação.

Em comunicado, a agência nuclear russa, Rosatom, anunciou que cinco membros do seu quadro morreram na explosão e outras três pessoas sofreram queimaduras. Autoridades militares não informaram sobre a possível presença de combustível nuclear no acidente, que ocorreu na região d…

SOL - O 'Evento Carrington', a maior tempestade magnética registrada incendiou alguns escritórios.

MAIS NOTÍCIAS

A maior tempestade magnética registrada que assustou operadores de telégrafo e incendiou alguns de seus escritórios.
O 'Evento Carrington' de 27 de agosto a 7 de setembro de 1859




A cada cem anos, mais ou menos, uma tempestade solar surge tão potente que preenche os céus da Terra com auroras vermelho-sangue, faz com que as agulhas bússolas apontem na direção errada e envia correntes elétricas que percorrem o solo superficial do planeta.
A mais famosa dessas tempestades, o Evento Carrington de 1859, na verdade chocou operadores de telégrafo e incendiou alguns de seus escritórios. (NASA)



De 28 de agosto a 2 de setembro de 1859, várias manchas foram observadas no Sol. Em 29 de agosto, auroras polares foram observadas em Queensland, na Austrália. Pouco antes do meio-dia de 1 de setembro, os astrônomos amadores ingleses Richard Christopher Carrington e Richard Hodgson fizeram, de forma independente, as primeiras observações de uma erupção solar.


O evento foi associado com uma grande ejeção de massa coronal (EMC), que viajou diretamente para a Terra e completou a viagem de 93 mil milhas em 17,6 horas. Acredita-se que a velocidade relativamente alta desta EMC (EMCs típicas levam vários dias para chegar à Terra) foi possível graças a uma EMC anterior, talvez a causa da grande aurora relatada em 29 de agosto, que "abriu o caminho" do ambiente de vento solar e plasma para o evento Carrington.

Entre 1 e 2 de setembro de 1859, uma das maiores tempestades geomagnéticas já registradas ocorreu.


Auroras polares foram vistas em todo o mundo, do hemisfério norte até o Caribe; aquelas sobre as Montanhas Rochosas eram tão brilhantes que seu brilho acordou garimpeiros, que começaram a preparar o café da manhã, porque achavam que era de manhã. As pessoas que foram acordadas pelo evento no Nordeste dos Estados Unidos conseguiam ler um jornal apenas com a luz da aurora. As auroras eram visíveis tanto nos polos quanto em lugares como Cuba e Havaí. 


Sistemas de telégrafo em toda a Europa e América do Norte entraram em pane e, em alguns casos, telegrafistas receberam choques elétricos. Alguns postes telegráficos também ficaram com faíscas. Alguns sistemas telegráficos continuaram a enviar e receber mensagens, apesar de ter sido desligado de suas fontes de alimentação.
Em junho de 2013, um grupo de pesquisadores do Lloyd's of London e do Atmospheric and Environmental Research (AER) dos Estados Unidos, usaram dados do Evento Carrington e estimaram o custo atual de um evento semelhante ao de 1859 entre 0,6-2,6 trilhões de dólares.


Gravado no Observatório de Greenwich, em Londres

Declinação, ou direção da bússola, (D) é o traço inferior em cada imagem e a força horizontal (H) é o traço superior. O Tempo Universal é o tempo registrado aqui (astronômico) mais 12 horas e o D medido precede H por aproximadamente 12 horas. Para referência, o efeito de labareda solar marcado ', a partir das 23:15 horas, no dia 31 de agosto, é às 11h15, hora universal, em 1º de setembro. Foi medido como 110 nT em H e 0,283 graus em D.
Por favor, note que estes horários são aproximados e não devem ser considerados como definitivos. Observe também que o tamanho e a escala de cada imagem são apenas aproximadamente semelhantes, no dia-a-dia. Alguns dados também foram perdidos, seja devido à degradação de tinta e papel, ou porque as variações eram tão grandes que estavam fora de escala.
Este é um exemplo dos dados históricos contidos nos arquivos geomagnéticos do British Geological Survey. Atualmente, estamos reexaminando nossos dados de antigos magnetogramas e anuários, na esperança de permitir um maior acesso a esses registros no futuro. http://www.geomag.bgs.ac.uk



Fique ligado! Acompanhe nosso SITE!
Monitore o Sol AQUI