Cristão, Abiy Ahmed, ganha o Nobel da Paz por promover acordo de paz para Etiópia.

MAIS NOTÍCIAS

Abiy Ahmed Ali atuou para alcançar a paz no conflito entre a Etiópia e a Eritreia, país vizinho. Conteúdo: guiame O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, é o ganhador do Prêmio Nobel da Paz 2019. O nome do vencedor foi anunciado na manhã desta sexta-feira (11) pelo comitê do prêmio, na Noruega. Abiy é um cristão pentecostal evangélico da Igreja dos Crentes no Evangelho Pleno. O político superou outros favoritos para o prêmio deste ano, entre os quais o líder indígena brasileiro Raoni Metuktire e a ativista sueca Greta Thunberg. O Nobel da Paz conquistado por Abiy Ahmed foi por sua atuação para alcançar a paz no conflito entre Etiópia e a Eritreia, país vizinho. Os dois países travaram uma guerra de fronteira de 1998 a 2000. Eles restauraram as relações em julho de 2018, após anos de hostilidade.

"Quando Abiy Ahmed se tornou o primeiro-ministro em abril de 2018, ele deixou claro que desejava retomar o ritmo das negociações com a Eritreia. Em estreita cooperação…

Nasa - Dados da Nasa mostram que o Brasil é o país que mais preserva o Meio Ambiente no Mundo.

MAIS NOTÍCIAS

A  desonestidade dos ambientalistas em relação ao Brasil
Dados oficiais comprovam que produtores protegem o meio ambiente.
Durante evento que aconteceu em Tocantins, a Embrapa Territorial apresentou dados chancelados pela Nasa para mostrar que o agronegócio brasileiro é responsável e sustentável.


Produtores rurais brasileiros preservam mais de 219 milhões de hectares em suas propriedades, o que corresponde a um valor em área de R$ 2,3 trilhões, apontou o supervisor do Grupo de Gestão Territorial Estratégica da Embrapa Territorial, Gustavo Spadotti Amaral Castro, em palestra durante seminário: “Soja Responsável – Produzindo Com Sustentabilidade Ambiental” realizado na segunda-feira, dia 15, na Assembleia Legislativa do Estado, em Palmas (TO). A entidade ainda destacou que dos 51.576.705 de hectares no Brasil, 66,3% é dedicado a áreas de preservação e proteção de vegetação nativa, terras devolutas e imóveis não cadastrados.


A  desonestidade dos ambientalistas em relação ao Brasil

Estes entre os muitos dados apresentados pelo supervisor, chancelados por um estudo da agência espacial norte-americana, a Nasa, comprovam que as críticas relacionadas aos agricultores sobre a preservação do meio ambiente no país são infundadas, afirma a Aprosoja.

“Nós somos produtores e protetores do meio ambiente. Além de ser economicamente viável, a soja é social. Melhora a vida das pessoas. O IDH onde não havia produção era baixo. Hoje, desenvolveu”, afirma o presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz.

2018

Durante sua explanação, Braz ainda criticou as organizações não-governamentais e empresas que tentam denegrir a imagem dos produtores brasileiros. “Estamos abertos ao debate. Somos um exemplo para o mundo. Os europeus não têm condição de falar nada de nós. Eles têm que nos valorizar. “A Embrapa mostrou os dados. Isso é ciência, não é informação vaga. É dado da Embrapa e da Nasa”, complementa.


Tocantins
Em seu pronunciamento, o presidente da Aprosoja Tocantins, Maurício Buffon, reafirmou que os produtores atuam dentro da legalidade e respeitam o Código Florestal Brasileiro. “O agro atua dentro da legalidade. Os números provam que os produtores destinam milhares de recursos para preservar. Respeitamos a legislação vigente preservando 35% da área de produção nas propriedades. Isso mostra a responsabilidade ambiental para o desenvolvimento do agronegócio sustentável”, afirma Buffon.

Evaristo de Miranda - Embrapa

Após assistir a palestra do membro da Embrapa, o secretário de Agricultura do Tocantins, César Halum, reforçou a tese de defesa dos produtores. “Esses números encorajam o produtor. Ao conhecermos os números, temos a capacidade de argumentar e convencer. São dados enriquecedores para todos da cadeia produtiva”, afirmou.

Segundo ele, o Estado deve produzir 4,7 milhões de toneladas de grãos nesta safra e que nos últimos 30 anos o Tocantins registrou crescimento de 560% na área plantada de soja e 760% na produção. “Estes números mostram o potencial de crescimento, agora necessitamos industrializar a soja no Tocantins, visando melhor arrecadação e geração de emprego no Tocantins”, disse. “Aqui respeitamos a legislação que já é rígida. Nosso desafio é produzir e preservar”, completou.


Fique ligado! Acompanhe nosso SITE!
Monitore as tempestades AQUI
Monitore o Sol AQUI