Cristão, Abiy Ahmed, ganha o Nobel da Paz por promover acordo de paz para Etiópia.

MAIS NOTÍCIAS

Abiy Ahmed Ali atuou para alcançar a paz no conflito entre a Etiópia e a Eritreia, país vizinho. Conteúdo: guiame O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, é o ganhador do Prêmio Nobel da Paz 2019. O nome do vencedor foi anunciado na manhã desta sexta-feira (11) pelo comitê do prêmio, na Noruega. Abiy é um cristão pentecostal evangélico da Igreja dos Crentes no Evangelho Pleno. O político superou outros favoritos para o prêmio deste ano, entre os quais o líder indígena brasileiro Raoni Metuktire e a ativista sueca Greta Thunberg. O Nobel da Paz conquistado por Abiy Ahmed foi por sua atuação para alcançar a paz no conflito entre Etiópia e a Eritreia, país vizinho. Os dois países travaram uma guerra de fronteira de 1998 a 2000. Eles restauraram as relações em julho de 2018, após anos de hostilidade.

"Quando Abiy Ahmed se tornou o primeiro-ministro em abril de 2018, ele deixou claro que desejava retomar o ritmo das negociações com a Eritreia. Em estreita cooperação…

☀️ MONITOR SOLAR

               


As ejeções de massa coronal (CMEs)
Ejeções de massa coronal são grandes erupções de gás ionizado a alta temperatura provenientes da coroa solar. 
Eles podem transportar até 10 bilhões de toneladas de material solar e desencadear tempestades geomagnéticas se atingirem a magnetosfera da Terra. CMEs, que geralmente viajam a velocidades entre 500 e 1500 km / s, levam 2 ou 3 dias para atravessar a barreira dos 150 milhões de quilômetros que separam o Sol e a Terra.


Ejeções de massa coronal são grandes erupções de gás ionizado a alta temperatura, provenientes da coroa solar. O gás expelido constitui parte do vento solar e, quando atinge o campo magnético terrestre, pode causar tempestades geomagnéticas, prejudicando os meios de comunicações e estações elétricas.

As CMEs voltadas para a Terra são chamadas de "eventos de halo" por causa da maneira como eles aparecem nas imagens coronográficas. À medida que a nuvem em expansão de um CME guiado pela Terra se ergue cada vez mais, parece envolver o Sol, formando um halo em torno de nossa estrela.

GIF de 27/02/2000
Esta animação mostra uma ejeção de massa coronal em "halo completo" registrada pelos coronógrafos do SOHO em 14 de julho de 2000. As muitas manchas na segunda metade do filme são partículas energéticas de uma explosão solar relacionada bombardeando os detectores eletrônicos do SOHO. O gás expelido constitui parte do vento solar e quando atinge o campo magnético da Terra pode causar fortes tempestades geomagnéticas, prejudicando os meios de comunicações e estações elétricas. 


Previsão de impacto do vento solar

O WSA-Enlil é um modelo de previsão em larga escala baseado na física da heliosfera.Fornece aviso prévio de 1-4 dias das estruturas do vento solar e de ejeções de massa coronal dirigidas pela Terra (CMEs) que causam tempestades geomagnéticasSabe-se há muito tempo que os distúrbios solares perturbam as comunicações, causam estragos nos sistemas geomagnéticos e representam perigos para as operações dos satélites.
Impactos:

GOES X-Ray flux plot
Fluxo de Raios-X

Fluxo de Prótons

Planetary K Index plot
 Tempestades Geomagnéticas        


SOHO Real Time
As últimas 48 horas de dados estão disponíveis aqui como GIF animados. 
Os filmes são atualizados a cada hora pois estamos em contato em tempo real com o satélite.

       
Auroras Boreais   
The latest Ovation aurora prediction plot and animation



A maior tempestade magnética registrada que assustou operadores de telégrafo e incendiou alguns de seus escritórios.
O 'Evento Carrington' de 27 de agosto a 7 de setembro de 1859

A cada cem anos, mais ou menos, uma tempestade solar surge tão potente que preenche os céus da Terra com auroras vermelho-sangue, faz com que as agulhas bússolas apontem na direção errada e envia correntes elétricas que percorrem o solo superficial do planeta. A mais famosa dessas tempestades, o Evento Carrington de 1859, na verdade chocou operadores de telégrafo e incendiou alguns de seus escritórios.
De 28 de agosto a 2 de setembro de 1859, várias manchas foram observadas no Sol. Em 29 de agosto, auroras polares foram observadas em Queensland, na Austrália. Pouco antes do meio-dia de 1 de setembro, os astrônomos amadores ingleses Richard Christopher Carrington e Richard Hodgson fizeram, de forma independente, as primeiras observações de uma erupção solar. O evento foi associado com uma grande ejeção de massa coronal (EMC), que viajou diretamente para a Terra e completou a viagem de 93 mil milhas em 17,6 horas. Acredita-se que a velocidade relativamente alta desta EMC (EMCs típicas levam vários dias para chegar à Terra) foi possível graças a uma EMC anterior, talvez a causa da grande aurora relatada em 29 de agosto, que "abriu o caminho" do ambiente de vento solar e plasma para o evento Carrington.

Entre 1 e 2 de setembro de 1859, uma das maiores tempestades geomagnéticas já registradas ocorreu. Auroras polares foram vistas em todo o mundo, do hemisfério norte até o Caribe; aquelas sobre as Montanhas Rochosas eram tão brilhantes que seu brilho acordou garimpeiros, que começaram a preparar o café da manhã, porque achavam que era de manhã. As pessoas que foram acordadas pelo evento no Nordeste dos Estados Unidos conseguiam ler um jornal apenas com a luz da aurora. As auroras eram visíveis tanto nos polos quanto em lugares como Cuba e Havaí. 


Sistemas de telégrafo em toda a Europa e América do Norte entraram em pane e, em alguns casos, telegrafistas receberam choques elétricos. Alguns postes telegráficos também ficaram com faíscas. Alguns sistemas telegráficos continuaram a enviar e receber mensagens, apesar de ter sido desligado de suas fontes de alimentação.
Em junho de 2013, um grupo de pesquisadores do Lloyd's of London e do Atmospheric and Environmental Research (AER) dos Estados Unidos, usaram dados do Evento Carrington e estimaram o custo atual de um evento semelhante ao de 1859 entre 0,6-2,6 trilhões de dólares.

Gravado no Observatório de Greenwich, em Londres

Declinação, ou direção da bússola, (D) é o traço inferior em cada imagem e a força horizontal (H) é o traço superior. O Tempo Universal é o tempo registrado aqui (astronômico) mais 12 horas e o D medido precede H por aproximadamente 12 horas. Para referência, o efeito de labareda solar marcado ', a partir das 23:15 horas, no dia 31 de agosto, é às 11h15, hora universal, em 1º de setembro. Foi medido como 110 nT em H e 0,283 graus em D.

Por favor, note que estes horários são aproximados e não devem ser considerados como definitivos. Observe também que o tamanho e a escala de cada imagem são apenas aproximadamente semelhantes, no dia-a-dia. Alguns dados também foram perdidos, seja devido à degradação de tinta e papel, ou porque as variações eram tão grandes que estavam fora de escala.
Este é um exemplo dos dados históricos contidos nos arquivos geomagnéticos do British Geological Survey. Atualmente, estamos reexaminando nossos dados de antigos magnetogramas e anuários, na esperança de permitir um maior acesso a esses registros no futuro. http://www.geomag.bgs.ac.uk